O adestramento, também chamado comumente de doma ou amansação, é a base para a formação de exímios marchadores. Mas para que o adestramento gere resultados positivos, é necessário que o animal seja possuidor de genes desejáveis para o bom desempenho da marcha, em termos do diagrama (boa definição dos momentos de tríplice apoios), comodidade, estilo, desenvolvimento, regularidade. Raramente, um animal que aprende a marchar será um bom marchador.

O adestramento é dividido nas fases de doma de cabresto, doma de baixo, doma de sela e adestramento avançado. A doma de cabresto tem início por volta dos 5 meses de idade, entre 15 a 30 dias antes da apartação. A idéia é ensinar o cabresteamento com um mínimo de estresse mental possível. Partindo deste princípio, o método consiste em conduzir o potrinho (a) ao lado de sua mãe.      A partir da segunda semana em diante, o animal poderá ser puxado sozinho, em andamentos de velocidade lenta - passo e marcha lenta. Nesta primeira fase as lições visam somente ensinar o potrinho (a) a caminhar respondendo ao comando de puxar o cabo de cabresto. Após a apartação, a doma de cabresto continua no redondel, ensinando-se o animal a virar à direita e à esquerda ao passo e marchando. Finalizada esta fase inicial da doma, os animais serão introduzidos no programa de condicionamento físico.

Diversos sinais emitidos pelo cavalo podem auxiliar a condução do treinamento no haras e a apresentação em julgamento:
- Orelhas voltadas para trás: é o sinal mais evidente de raiva, intenção de morder ou de escoicear;
- Orelhas permanentemente móveis: indicativo de cavalos muito ativos ou de temperamento nervoso;
- Orelhas caídas: cansaço, sonolência, doença;
- Olhar sem brilho: fadiga, doença;
- Olhar fixo, com orelhas armadas: algo desperta a atenção, podendo gerar curiosidade ou medo;
- Cauda erguida: sinal de excitação, reserva acumulada de energia;
- Cauda agitando: sinal de inquietação, temperamento nervoso, dor;
- Movimentos elevados dos membros: sinal de excitação;
- Abrir e fechar a boca e/ou bater lábios: vício ou sinal de rejeição à < embocadura;
- Oscilação da cabeça: rejeição à embocadura, temperamento nervoso;
- Passo retraído: pode ser indicativo de desequilíbrio dinâmico (desvio grave de aprumos) ou de inquietação, excitação;
- Sudorese excessiva: fadiga, condicionamento físico inadequado;
- Suor de coloração branca leitosa: pode indicar condicionamento inadequado;
- Baixar cabeça: fadiga;
- Pendular cabeça: inquietação, temperamento indócil


Voltar